A nós, Fulanas NAB em tempo de COVID-19

Este “ textículo” inclui algumas citações que gosto, foram pinçadas a título de registro-lembrete-informativo-reflexivo.

1) Lembrar que em 2008 a Rede Fulanas NAB-Negras da Amazônia Brasileira surgiu a exemplo de outros coletivos similares, a partir de uma certa “ partenogênese social” , no caso, interestadual Pará-Amapá. 2) Lembrar que Rede aqui , não foi escolhida por sinalizar repouso. Embora nossa amada rede nos conforte (eu mesma “ durmo em rede” ), o forte dela é o balanço, movimento pendular, por isso binário. Nossa rede, ´seisssabem´ , foi criada para ser conectiva, e confesso que minha expectativa era (e é) que seus elos/marcadores das conexões, sejam de tal forma, que permitam seus fios conectivos correrem na malha , fazendo como que se movimentem deslizantemente, resultando em um certo “mexeu com uma , mexeu com todas ”, sem deixar de considerar que o vigor de uma rede está na máxima resistência do considerado elo mais fraco, mas que, ao mesmo tempo, são os elos mais distantes – geralmente são considerados elos mais fracos -, são os mesmos que fazem a verdadeira força das redes. Ou seja, é a capilaridade horizontalizada, sem hierarquização é que dará a força da rede – apesar de diferentes, todas são igualmente importantes – ,“ cada uma dá o que tem” e o todo não é simplesmente a soma das partes.

3) Lembrar que Fulanas, aqui, foi sugerido não só para nominar este coletivo, por sinalizar: a) agrupamento de mulheres só aparentemente anônimas; b) Fulas é uma das etnias africanas, cujos membros foram traficados, transportados, escravizados nas Américas; que, pelo que sinalizaram minhas avó , mãe e tia, eram pessoas que expressavam forte indignação (uma pessoa estava ou ficava ´fula da vida´ , diante de situações que a desagradavam). Cabe o registro que não se trata de foi, sim, é uma etnia, pois recentemente postei na lista um curto vídeo sobre Guiné Bissau, que cita essa etnia; também , pelo que lembro, foi a única etnia citada no filme “ Pantera Negra” (da Marvel). Confesso que não sei por que ´cargas dágua´ acho que minha ancestralidade veio da região de Cacheú (hoje em Guiné Bissau) .

4) Lembrar que Negras aqui, revela que são mulheres e da Raça Negra (não importa no momento se muitos na academia, acham que devemos eliminar de vez o termo raça). Aqui pinço, para parafrasear : “ Metade da humanidade são mulheres, a outra metade são filhos delas” (forte não é? A rigor, somos mais da metade). Sabe-se, por outro lado, que relativamente pouca mulheres querem virar homens, mas que , infelizmente, muitas pessoas negras querem virar brancas; e , na minha opinião, esse ainda é um dos maiores desafios, pois temos a tarefa de conquistar para nossa luta, a maioria da população negra – é uma população imensa no Brasil, sendo que nós, do movimento social de pessoas negras, ainda somos bem poucos, pois o próprio racismo é obstáculo para chegarmos à muitas outras famílias negras.

5) Lembrar que Amazônia é uma região que abrange nove países e que o nome deriva de Amazonas, que se origina de uma lenda em que existiram aqui , mulheres guerreiras, destemidas – que deveremos ser ao limite, recordando e parafraseando aquele diálogo, onde a menina pergunta: “ Mãe, o que é desistir? E a mãe, responde: Não sei filha, sou mulher negra!!!

6) Lembrar que Brasileira aqui, é para marcar que não somos o todo da Amazônia e que o Brasil ( firmado com esse nome que já sinaliza uma antiecológica extração de madeira – pau Brasil), foi colonizado, basicamente, por portugueses que impuseram língua/religião a nós e aos indígenas (nossa luta racial abrange essas duas populações) e que por isso é quase impossível ´descolonizar´ o pensamento, a rebeldia, já que estamos entranhadas dessa versão eurocêntrica, mas que, cabe sim, lutar para eliminação do neoliberalismo, que já vem sendo chamado de ´necroliberalismo´ (Mbembe) , contribuindo para fazer hegemonizar princípios como os do Bem Viver, Ubuntu, Decrescimento, Eco-Feminismo.

7) Lembrar que o momento nos leva a reafirmar o dito , parafraseado aqui: “ Mar manso não forma boas marinheiras” .

8) Lembrar também, que andam dizendo , indevida generalização (generalizou, errou!), que a culpa é dos chineses e , que , de fato, alguns chineses devem ter culpas, sendo que uma das quais foi de terem inventado a bússola (dizem que foram eles), pois ela fez com que os europeus invadissem este continente e foram ao continente africano arrancar populações originárias para escravizar aqui. Não viemos; fomos trazidas. Não é adequado comparar nossa existência aqui com os imigrantes; esses sim, vieram e foram apoiados, de alguma forma, inclusive pelo estado brasileiro.

9) Lembrar que vem de muitas filosofias – inclusive do Ubuntu-, que devemos saber o que existem situações me que temos ´governabilidade´ e em outras , não – mudar o que se pode e aguardar/aceitar o que não se pode (no momento).

10) Lembrar que alguém disse: “ Não devemos ter medo da morte porque quando ela está, nós não estamos e quando estamos ela não está ” . Axé !

NilmaBentes – maio de 2020

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.